A história do arado ! …Às vezes a nossa história !

“A Tentação do Repouso – Num campo de lavoura, grande quantidade de vermes desejava destruir um velho arado de madeira, muito trabalhador, que lhes perturbava os planos e, em razão disso, certa ocasião se reuniram ao redor dele e começaram a dizer:

– Por que não cuidas de ti? Estás doente e cansado…

– Afinal, todos nós precisamos de algum repouso…

– Liberta-te do jugo terrível do lavrador!

– Pobre máquina! A quantos martírios te submetes!…

O arado escutou… escutou… e acabou acreditando.

Ele, que era tão corajoso, que nem sentia o mais leve incômodo nas mais duras obrigações, começou a queixar-se do frio da chuva, do calor do Sol, da aspereza das pedras e da umidade do chão.

Tanto clamou e chorou, implorando descanso, que o antigo companheiro concedeu-lhe alguns dias de folga, a um canto do milharal.

Quando os vermes o viram parado, aproximaram-se em massa, atacando-o sem compaixão.

Em poucos dias, apodreceram-no, crivando-o de manchas, de feridas e de buracos.

O arado gemia e suspirava pelo socorro do lavrador, sonhando com o regresso às tarefas alegres e iluminadas do campo …

Mas, era tarde.

Quando o prestimoso amigo voltou para utilizá-lo, era simplesmente um traste inútil.

A história do arado é um aviso para nós todos.

A tentação do repouso é das mais perigosas, porque, depois da ignorância, a preguiça é a fonte escura de todos os males.

Jamais olvidemos que o trabalho é o dom divino que Deus nos confiou para a defesa de nossa alegria e para a conservação de nossa própria saúde. ”

Xavier, Francisco Cândido

Não podemos esperar resultados diferentes fazendo sempre a mesma coisa !

Fazendo algo diferente no nosso dia a dia, aí sim vamos esperar coisas diferentes !

A prática do Yôga nos  retira da inércia, através das várias e simplificadas técnicas podemos mover a estagnação de dentro de nós que muitas vezes é a causadora dos desequilibrios dos vários elementos que constituem o nosso corpo.

Onde existe desequilibrio existe uma porta aberta para não nos sentirmos bem connosco mesmo. O yôga traz nos a possibilidade de auto nos conhecermos e trazermos de volta o equilibrio ao nosso corpo. Isso ocorre através de exercicios especificos e orientados durante uma aula. Na maior parte dos casos após uma aula de yôga algo já está diferente na pessoa. Não há como explicar! Esta ciência que é milenar não terá chegado aos nossos dias por mero acaso! Ela encerra conhecimentos tão profundos de cura, que ainda hoje a ciência não consegue explicar. A passagem deste ensinamento fez-se sempre de professor  a aluno. Não há como aprender Yôga pela teoria dos livros, mas sim pela presença física de alguém que pode ser exemplo desta arte . A arte não funciona pela teoria mas sim pela vivência fisica do conhecimento.

Ana Luísa Paulo

Professora de Yôga desde 2007

​ ​

 

 

Comments are closed.